• Marina Amore

Empreendedores cool | liten landa

Atualizado: Jan 10


Hoje é dia de falar um pouco sobre a liten landa. E o que dizer quando a poesia já começa no nome, hein? De origem sueca, as palavras liten e landa significam “pequena” e “terra”. E é fácil fácil viajar para este pequeno território com muitas possibilidades.

A criadora da marca é a Adriana, que estou tendo a sorte de conhecer mais com nossos bate-papos no ateliê da marca (aliás, não deixem de ir conferir os produtos e conhece-la!). Fã desde sempre de trabalhos manuais, tecidos e estamparia (ela chegou a ter uma marca de moda casa antes da liten landa), começou a costurar e produzir peças para o público infantil. Era um universo que a inspirava mais e que a fez descobrir habilidades até então desconhecidas por ela mesma.

Desses episódios em que o universo conspira pra que as coisas deem certo, sabem?

E logo vieram os lindos doudous, no Brasil conhecidos como “naninhas”. E depois mais uma série de produtos incríveis como protetores de berço, almofadas e posters.

Os mais procurados são os menos convencionais e unissex. As almofadas metalizadas e as de moletom cinza mescla, por exemplo, são sucesso absoluto. E são lindas mesmo, um básico cool que faz TODA a diferença no quartinho.

Os produtos da liten landa são produzidos em um ateliê em Pinheiros (SP). É lá onde tudo acontece, desde o corte até a embalagem. Tudo pensado e acompanhado nos mínimos detalhes! Recentemente, no mesmo endereço do ateliê, foi inaugurado o showroom da marca, ótimo para quem faz questão de ver de perto os produtos e imaginá-los nos quartinhos. Também chega logo mais uma nova linha de estampas, inspirada no verão (oba!).

Um pouco mais sobre a Adriana, da liten landa:

Quais são suas inspirações na hora de criar?

O primeiro produto que eu criei para a marca foram os doudous. Eu estava muito envolvida com psicanálise e li sobre a importância do objeto transacional. Aquilo me tocou e eu conciliei a funcionalidade com a descoberta da minha vontade de ilustrar criando personagens com características diversas, que pudessem se identificar com famílias de diferentes características físicas. Na mesma época eu comecei a me interessar por métodos alternativos de educação: Waldorf e Montessori, por exemplo. Apesar de não ter filhos, eu tenho fascinação por desenvolvimento humano e eu vi uma oportunidade de fazer um trabalho que eu gostasse e no qual acreditasse, ao mesmo tempo.

Meu filho Tomás ama esse doudou, o Augusto.

Fica no berço dele e teve até lugar de destaque na festinha de um ano!

O que te emociona no dia a dia de trabalho?

A oportunidade de entrar em contato com mulheres nessa fase de novas descobertas, da maternidade e com os pequenos empreendedores. É bom praticar essa colaboração de que tanto se fala. Eu tenho uma admiração enorme de ver as pessoas se arriscando em tempos tão difíceis e acho inspirador testemunhar a coragem delas de partir para uma vida com mais propósito.

No quartinho da Olivia, filha da Carla D’Aqui, entraram algumas peças da liten landa, como almofada metalizada, o tapete, o cordão de estrelas e a doudou fotógrafa que não podia ficar de fora dessa, né? Abaixo estão as imagens desses produtos no quartinho da Olivia. O link para conhecer o projeto completo esta aqui.


112 visualizações