• Marina Amore

Papel de parede


Papel de parede é algo que sempre achei lindo em quarto de criança mas, sempre difícil de decidir e usar (no meu caso). Sou uma libriana típica e gosto de ficar mudando as coisas de lugar no quarto, não gosto muito de coisas que enjoam e que me prendam.

Maaaaasss, para o quarto do Tomás, resolvi tomar coragem! Como quero colocar ele e o Miguel em um quarto juntos num futuro próximo, resolvi dar um "tapa"no quarto de hóspedes/ escritorio para ser o quartinho dele até esse dia chegar. A princípio, ia colocar papel no quarto todo mas, aí pensei: vou ficar no neutro de sempre, não vou ficar satisfeita. Já que é para mudar, vamos fazer algo menos neutro. Então, resolvi buscar um papel menos neutro (dentro das minhas possibilidades de "não-neutros"haha) e aplica-lo em uma parede só. Nas 3 das 4 paredes desse quarto tem algo, ou porta ou janela e em apenas uma delas não tem nada - é nessa que vou aplicar.

Nessa minha busca, achei umas dicas legais no Casa.com.br vejam:

1 – É possível aplicar o papel em todas as paredes de um cômodo, criando uniformidade, ou em apenas uma, dando destaque para uma área específica do ambiente. Se optar por aplicar o papel em todas as superfícies, o ideal é escolher padronagens mais discretas e cores amenas, para não carregar o visual.

2 – Os papéis de parede não são indicados para áreas externas ou molhadas: jardins, cozinhas e banheiros têm condições de umidade que podem danificar o produto. O ideal é aplicar em quartos, escritórios, salas de estar e jantar. Até mesmo lavabos podem receber o material.

3 – Em dormitórios, prefira revestir a parede atrás da cama. Ali, o papel de parede ajuda a criar uma moldura para a cabeceira. Além disso, como não fica no campo de visão de quem está deitado, as chances de enjoar da estampa são menores.

4 – Ao compor ambientes, o equilíbrio é essencial: se já possui móveis e acessórios bem coloridos, procure um revestimento de parede mais neutro, que não entre em conflito com a paleta de cores presente.

5 – Uma boa estampa leva personalidade ao ambiente e pode ajudar a criar climas diferentes. O floral, por exemplo, traz delicadeza e romantismo; o geométrico pode compor ambientes ousados e modernos, e bolinhas são garantia de descontração e diversão.

6 – Além das estampas, as texturas são outro ponto positivo deste material – há modelos com relevos que remetem ao toque do tecido, da palha, da madeira e até mesmo do metal. E o melhor, tudo isso a preços bem mais acessíveis que os materiais originais.

7 – A aplicação do papel de parede é simples e rápida – não provoca respingos e odores, que podem vir com a pintura, por exemplo. Quem tem um pouco de habilidade manual e disposição pode aplicar o papel em casa até sem a ajuda de profissionais.

Paralela a essa fase da decisão de colocar papel ou não, passei pela decisão de qual colocar. Posso dizer que detesto a grande maioria dos papeis de parede das lojas de bebê (#prontofalei). Acho que todos são muito limitados à fase bebê recém-nascido (assim como a maioria dos móveis e decoração dos quartos mais tradicionais). Fica lindo até o dia do bebê chegar da maternidade. Depois, vira uma bagunça, tudo que é da vida prática (produtos de higiene, brinquedos etc), nada mais combina com aquele ambiente. Dessa forma, claro que fui procurar o papel do quarto em lojas mais moderninhas e também em albuns de papel de parede de adulto.

Como não gosto de me prender, temas e personagens estavam descartados. Sobraram então as texturas e os geométricos. Os de textura, gosto bastante dos de tijolinho mas, confesso que eu acho que precisa ser muuuito bem pensado pra não ficar fake demais. Ou seja, muita ousadia pra mim haha. Fui então para os geométricos e mais uma vez apelei para a decoração escandinava que acho LIN-DA. Vejam alguns exemplos de papéis nesse estilo de decoração:

Não são a coisa mais linda? Amei todas essas imagens, fico vendo cada uma delas váárias vezes, por váários minutos hahaha... ainda mais agora que estou em repouso (sim, Tomás quer nascer antes... to de molho!).

Enfim, transpondo o sonho para a realidade, precisava de algo que conseguisse achar aqui no Brasil, afinal, mamãe-sempre-atrasada decidiu colocar papel com quase 30 semanas de gestação :) Achei os losangos na Ameise Design! Bem o que mais atendia minha "neutralidade não-neutra"!! E ele foi o escolhido:

Losangos cinzas - não-neutro, mas neutro... kkk. (Esse quarto da foto não é o do Tomás, é só para mostrar o papel! Embora eles tenham mais ítens em comum hehe).

Em 10 dias terei o papel instalado e mostro por aqui.

Aproveitando, uma loja mara e nova que existe para comprar papeis moderninhos é a Branco Papel de Parede. É uma loja nova, nunca comprei lá mas achei as estampas lindas. Tem vários arquitetos e designers que fizeram estampas exclusivas para a marca: Marcelo Rosembaum, Ana Strumpf - BAPHO! Vale dar uma olhada no site e no insta deles.

Ah! Voltando rapidinho à questão escandinava, eles usam bastante adesivos que dá para aplicar de várias formas. Eu AMO isso pq dá pra mudar bastante, rápido e fica super personalizado e cool. Aliás, no quarto do Miguel coloquei adesivos e estou vendo essa tendência crescer bastante aqui no Brasil, várias lojas já tem e tal... mas isso fica para um próximo post.

Crédito das imagens: Pinterest e Google

#papeldeparede #adesivos #escandinavo

0 visualização